Cobertura: Infrasound Fuzztival em Curitiba

SHARE

Cobertura por Matheus Jacques

Com sua primeira edição tendo sido realizada no mês de setembro em Florianópolis marcando a estreia oficial do selo Infrasound Records (dos irmãos Mauro e Samuel Fontoura da banda Muñoz Duo), o festival Infrasound reuniu um novo elenco de grandes bandas do rolê underground no 92º Underground Pub na capital paranaense. Se na edição anterior, no Taliesyn Rock Bar de Florianópolis, a Muñoz executou seu novo álbum Smokestack na íntegra junto à Ruinas de Sade, Red Mess, Katss, Pantanum e Cattarse, nesse novo giro apenas a Pantanum esteve no cast junto à Muñoz. Junto a elas, as bandas Tropical Doom (PR), Stolen Byrds (PR) e a clássica Fuzzly (MT), esta última com uma mudança inusitada: já que seu baixista não pôde descer para o Sul, Mauro Fontoura assumiu o instrumento e proporcionou um momento raro de Muñoz + Fuzzly simultaneamente no palco.
O 92º Underground Pub, clássico pico underground de shows em Curitiba, recebeu um público bem considerável para essa segunda edição de festival Infrasound, com o início das apresentações das bandas lá pelas 23 / 23:30h.

TROPICAL DOOM

tropical-doom-moviola
(Tropical Doom – Foto Moviola Mídia Livre)

O quarteto curitibano Tropical Doom executa uma envenenada mistura de Stoner Rock e Metal, e foi a primeira banda a subir ao palco do 92º na noite. Foi a segunda apresentação que assisti: conheci o potente som dos caras ao vivo no festival Megalodoom Fuzztival em Brusque, há uns meses. E novamente, conferi os caras obtendo um baita êxito diante da plateia do 92º com sua sonoridade empolgante e incendiária, misturando faixas de seus dois trabalhos: “Tropical Doom” de 2015 e o novo EP “Mangue”, desse ano. Os caras não medem palavras e entregam faixas aceleradas e pesadas como “Roadkill Meal”. Recheando sua sonoridade com ótimos e acachapantes riffs, bastante solidez instrumental e um baita vocal, os caras prepararam o terreno de forma correta e fizeram uma baita abertura do fest.

PANTANUM

pantanum3-moviola
(Pantanum – Foto Moviola Mídia Livre)

Na sequência, foi a vez do quarteto Pantanum, também de Curitiba, adentrar o recinto e dar início à sua apresentação. Mas indo para um caminho oposto ao da banda anterior, mais orientado à lerdeza, os caras enveredaram por um tortuoso e lisérgico rumo do Doom Metal. Imbuindo sua sonoridade arrastada e densa com fortes elementos psicodélicos e delirantes, os caras proporcionaram uma intensa trip. A recente adição de sintetizadores nessa sua “fase mais atual” serviu perfeitamente para tornar o som ainda mais viajante e hipnótico, conduzidos por um vocal distorcido e marcantes riffs. Petardos como “Pedrada” e “Electric High” do álbum de estreia Vol.1 passearam pelo setlist dos caras, que impuseram uma baita vibe na noite e proporcionaram ótimos momentos de psicodelia torta!

MUÑOZ

munoz-moviola
(Muñoz – Foto Moviola Mídia Livre)

O duo de heavy blues Muñoz foi a terceira banda a se apresentar na noite. Posso ter perdido as contas, mas deve ter sido a quinta ou sexta vez que vi os irmãos Fontoura tocando, e pude conferir mais uma impressionante performance do duo. Sempre massivos e impactantes, os caras seguem arrebentando com sua versão pesadona stoner de Blues Rock, com uma cacetada de riffs incendiários e passagens memoráveis na bateria. Sons do álbum de estreia “Nebula” (2014) se misturaram a músicas de Smokestack, o mais novo trampo dos caras. Os criadores do festival Infrasound novamente entregaram uma apresentação catártica e impactante,com faixas como a excelente Snowball marcando presença, e o baile seguiu visceral após o blues pesado ter tomado conta do palco do 92º Pub.

FUZZLY

fuzzly-foto-moviola-midia-livre
(Fuzzly – Foto Moviola Mídia Livre)

Encaminhando a noite para seu final, foi a vez de finalmente conferir ao vivo uma das mais icônicas e marcantes bandas do stoner rock nacional: a Fuzzly, do Mato Grosso.
A banda que é uma das mais antigas da vertente em atividade no país e conta com uma porrada de rolês no currículo (esteve ao lado do Truckfighters no Rio de Janeiro em 2016), aparentemente veio para o Sul conferir o show do Black Sabbath em Curitiba, e uma apresentação dos caras no festival Infrasound foi devidamente providenciada. Mas desfalcada de seu baixista, a banda contou com Mauro Fontoura da Muñoz improvisado no instrumento, e o lance rolou legal!
Ao vivo, a sonzeira timbradona e desértica, árida, se mostrou explosiva e elétrica, associando o poder do fuzz a útimo vocal mais arrastado e à eficiente cozinha da banda. Resultado: um Stoner Rock massivo, encorpado e barulhento, cheio de ótimos riffs e solos bem bacanas. Foi excelente finalmente poder conferir o ótimo show dos caras.

STOLEN BYRDS

stolen-byrds2-moviola
(Stolen Byrds – Foto Moviola Mídia Livre)

Fechando o Fuzztival, a Stolen Byrds de Maringá/PR.
Com um bom número de rolês executados, dois álbuns na bagagem e bastante energia e empolgação, o quinteto paranaense subiu ao palco do 92º Under Pub para mostrar a força do Hard Rock. Inspirados e influenciados pelo Hard 70’s, pelo Rock´n Roll e pelo Blues, com uma pegada que remete à uma certa veia meio Rival Sons, os caras executaram com seriedade, comprometimento e eficiência sons grudentos e divertidos, fazendo do palco um ambiente nativo, e atuando com bastante naturalidade.
Alicerçados em uma seção instrumental certeira e conduzidos por um baita vocal, a banda Stolen Byrds fechou a noite com classe mesclando sons dos álbuns “Gypsy Solution” (2014) e “Stolen Byrds” (2016), sendo uma banda para se acompanhar bem de perto!

Em suma: o festival Infrasound Fuzztival é uma essencial e muitíssimo bem-vinda adição ao “calendário” de rolês underground no país. Contando com mais um elenco de muita qualidade, com ótimas bandas do Stoner Rock e suas vertentes no país (muitas emergentes, tendo a oportunidade de se apresentarem com evidência a públicos bacanas), o festival marca presença novamente e segue a qualidade da primeira edição, que proporcionou um lance maneiríssimo em Florianópolis no Taliesyn Rock Bar para uma grande plateia!

Vídeo da Cobertura do Moviola Mídia Livre