HellLight – 20 Anos de Funeral Doom

SHARE
Crédito: Edi Fortini https://www.facebook.com/EdiFortini/

Por Rafael Sade

 

Assim como acontece com algumas bandas, em 1996 o HellLight nasceu do sonho de tocar como os ídolos. Músicas no repertório de nomes como Danzig, Dio e, principalmente, Black Sabbath davam os primeiros acordes daquilo que viria mais tarde, chamando a atenção pelo andamento lento e a afinação baixa.

Sem demora, com canções próprias e formação consolidada, é lançado o disco Fear no Evil (1998), que deixa bem clara sua origem e suas influências. Após um hiato, é lançado o In Memory of the Old Spirits (2005), no qual eles fincam seus pés no funeral doom metal e evidenciam os vocais guturais. Depois, Funeral Doom (2008) é o álbum que traz a temática do seu estilo para a capa e pelas longas músicas em seu repertório e abre as portas para o exterior, sendo lançado pela gravadora alemã Ancient Dreams Records.

Entre os anos 2011 e 2013 o grupo fecha com a gravadora russa Solitude Productions, e então são lançados o EP The Light that Brought Darkness e os álbuns …and Then, the Light of Consciousness Became Hell… e No God Above / No Devil Below, nos quais a HellLight trabalhou como um duo. Já em 2015, com 50% da formação original, os bangers lançam o Journey through Endless Storms, aclamado no Brasil e no exterior, e que possibilitou o lançamento nacional com a Mutilation Records.

Falamos com Fabio de Paula, guitarrista, vocalista e fundador, que nos conta sobre toda essa trajetória, sobre o lançamento da coletânea e um show comemorativo de 20 anos.

 

October Doom Magazine – Nesses 20 anos de underground, qual o foi o melhor acontecimento que fez valer a pena estar ativo até hoje?

Fabio de Paula: Na minha opinião, o melhor acontecimento foi, na verdade, o reconhecimento que a banda adquiriu diante do público tanto brasileiro quanto estrangeiro. Este sempre foi um motivo de muito orgulho, pois todos sabem quão difícil é se manter durante tantos anos no underground – especialmente fazendo um estilo de música tão impopular.

Durante todo esse tempo, muitas coisas boas e ruins aconteceram. Muitas discussões, muitas desilusões… Porém, tivemos muitos momentos épicos e emocionantes com muitos dos shows que fizemos. É a emoção e a paixão que nos manteve e que nos manterá na ativa por muitos anos ainda.

Crédito: Divulgação

 

ODM – A banda anunciou uma coletânea com download gratuito. Qual foi o critério para a escolha das músicas?

FS – Nós quisemos fazer uma compilação com músicas de todos os álbuns, e tentamos colocar aquelas que mais tocamos ao vivo durante todos esses anos, justamente pela identificação que muitos fãs possuem com algumas delas. A ideia de soltá-lo com download gratuito veio do momento celebrativo. Achei incoerente cobrar os fãs por um material que é fruto de uma data comemorativa e tão importante para nós.

 

ODM – No último sábado de novembro, a HellLight fará um show com entrada franca para comemorar os 20 anos de underground. Podemos esperar alguma surpresa?

FS – Sim, essa foi a data escolhida para essa celebração e esse será um dia muito especial para nós. Será um show muito emocionante, pois tentaremos contar por meio de nossas músicas, e alguns diálogos, a trajetória destes últimas duas décadas e, além disso, fazer com que essa emoção seja passada para o público presente. Afinal, muitas das pessoas que estarão lá nos acompanham desde o começo. Isso é, na minha opinião, o objetivo máximo de qualquer artista: conseguir dividir sua arte com o público de forma tão intensa que as pessoas passem a acompanhar toda a sua trajetória. Acredito que será uma grande noite que marcará o ciclo desses primeiros 20 anos e, certamente, o começo dos próximos 20.

 

Saiba mais:
Facebook
Bandcamp