Overload Music Fest – Como foi?

SHARE

Por Rafael Sade e Morgan Gonçalves

A edição de 2016, que trouxe Vincent Cavanagh, Labirinto, Alcest e Katatonia certamente foi um dos eventos mais esperados do ano, e será lembrado por muitos anos.

As portas se abriram às 15 horas, conforma programado, e as pessoas já se enfileiravam para entrar e ficar mais próximo possível do palco e ver a primeira das quatro atrações do evento, Vincent Cavanagh.

Antes de chegar ao momento do início do show, é necessário ser realista e apontar um problema que percebi. A fila para a chapelaria (guarda volumes) era longa, e andava em ritmo extremamente lento (havia somente uma pessoa atendendo, lacrando as bolsas e recebendo) e isso dava um certo medo de que se perdesse parte do show do Vincent por causa disso, o que não aconteceu. As filas dos caixas dos bares também eram exageradamente longas.

Superados os pontos já descritos, vamos às músicas, que é o que importa.

Vincent Cavanagh

vincent
Foto por Alessandra Tolc

Eu já havia visto um show de outro dos irmãos Cavanagh, o Danny, e achei que seria semelhante, mas me enganei. Além de toda a simpatia do mais novo dos irmãos Cavanagh, Vincent convidava o público a interagir com ele nas músicas tocadas somente em voz e violão.

Os pontos mais altos de sua apresentação foram as músicas das mais clássicas do Anathema, como Anjelica, Eternity Part I e Thin Air. A todo momento o público gritava e cantava as letras das músicas de uma das bandas mais respeitadas do Doom Metal no mundo. Embora hoje as músicas sejam entoadas de uma forma diferente daquela que consagrou o Anathema, não dá pra negar que a sensação de ouvir essas músicas ao vivo é maravilhosa.

SetList:
Fragile Dreams
Deep
Untouchable, Part 1
Thin Air
Angelica
Eternity Part I
Distant Satellites

Labirinto

labirinto
Foto por Alessandra Tolc

Para o Labirinto esta foi uma noite muito especial. Além de ser a segunda participação da única banda brasileira nesta edição do evento, era também o lançamento oficial do segundo full álbum da banda, Gehenna, lançado entre o final de agosto e o início de setembro.

O show que começou com uma atmosfera razoavelmente tranquila, acompanhada de imagens belas e atraentes, que davam ao Carioca Club, uma paisagem bastante etérea. Cada música era uma insanidade sonora, que levava todos ali aos lugares mais distantes possíveis.  Mas nem tudo são flores, e com o passar das músicas, a densidade sonora foi aumentando e dando lugar à um peso que ficou ainda mais extremo aliado as imagens perturbadoras de guerras, violência, truculência e morticínio que agora apareciam no telão. O final foi fantástico, com onda de percussão que fazia todos os órgãos do corpo vibrarem junto com cada nota.

Como Música também é uma forma de expressão política, depois da última música, o público bradou “Fora Temer”, em alusão à atual situação do país. Surreal;

TrackList:
Mal Sacré
Aung Suu
Enoch
Qumram
Avernus
Aludra
Alamūt

Alcest

alcest
Foto por Alessandra Tolc

Uma das bandas mais aguardadas da noite, os franceses do Alcest retornaram ao Brasil após dois anos da sua primeira participação no Overload Music Fest. Após a participação no Meet and Greet com quem comprasse seus produtos oficiais, a banda subiu ao palco na terceira atração do festival. Como prometido tocaram o segundo álbum Ecailles de Lune na íntegra, juntamente com outros sucessos em pouco mais de uma hora e meia de show. Muitas vezes durante as músicas, o vocalista/guitarrista Neige se mostrou muito surpreso e agradecido com a receptividade do público brasileiro. Em sua segunda passagem pelo Brasil em um curto período, o Alcest comprova que que nosso país faz parte da rota de seus shows, e ficamos no aguardo que não demorem para nos apresentar as músicas do novo álbum Kodama

TrackList:
Écailles de lune – Part 1
Écailles de lune – Part 2
Percées de lumière
Abysses
Solar Song
Sur l’océan couleur de fer
Autre temps
Les Iris
Souvenirs d’un autre monde
Là où naissent les couleurs nouvelles
Délivrance

Katatonia

katatonia
Foto por Alessandra Tolc

Após 5 anos desde a sua primeira passagem pelo Brasil os suecos do Katatonia retornaram como a banda principal da terceira edição do Overload Music Fest. Entre músicas do novo álbum The Fall of Hearts e clássicos da década atual, a banda tocou um total de 20 músicas e saciou a todos que aguardavam pela oportunidade de velos ao vivo. Apresentando a nova formação, o Katatonia esbanjou entrosamento e fez desse show um dos melhores que passaram pelo Brasil em 2016. Foram duas horas de show, e apesar do cansaço do público que assistiu por horas outras atrações no Carioca Club, o resultado final foi o melhor possível. O Katatonia merece um show próprio em nosso país, e aguardamos que não demore para isso acontecer

TrackList:
Last Song Before the Fade
Deliberation
Serein
Dead Letters
Liberation
Day and Then the Shade
Teargas
Criminals
The Longest Year
Soil’s Song
The Racing Heart
Nephilim
Onward Into Battle
Evidence
Old Heart Falls
Leaders
Hypnone
Buildings
In the White
Forsaker
My Twin
Lethean
July

 

Agradecimentos:
Overload Music Fest
The Ultimate Music
Alessandra Tolc