Resenha I am the Sun – “Death Water”

SHARE
Crédito: Divulgação

Por: Matheus Jacques

 

Death Water é o novo trabalho do trio I Am the Sun, de Bragança Paulista, interior de São Paulo. Sucedendo o EP Drink, Destroy, Repeat, a novidade mantém sua linha de execução e carrega na dose de rock violento, visceral, aquela caminhada dividida entre as as zonas do rock and roll e do metal, tudo com uma boa medida de “chapação” e lombra.

Com influências que demonstram passar por nomes como Red Fang, Orange Goblin,  Corrosion of Conformity, Planet of Zeus e outras do gênero, a banda formada atualmente por Marco de Sordi (vocal/bateria), Nenê Pister (vocal/baixo) e Marcelo Leme (guitarra), mas que neste álbum em questão conta com Diogo Baker nas seis cordas, destila em 10 faixas uma muralha de riffs cavalares, energia sônica e empenho em entregar um resultado que pode agradar a fãs de heavy metal, stoner e até mesmo thrash metal e punk rock. No fim das contas, é o “bom e velho rock and roll” com diferenciadas dosagens em cada uma das canções.

Faixas como “Dark Clouds” e “The Burnout” remetem a essa veia mais “rockão”, verdadeiras viagens motorizadas através do deserto a bordo de um Interceptor V8.  Outras, como “Woke Up in Space”, “Hard to Believe” e a faixa-titulo “Death Water”, se entregam a uma cadência mais compassada com um groove denso e rochoso dando a tônica de seus desenvolvimentos. Temos ainda “Grit”, uma interessante e divertida faixa que soa como uma espécie de releitura metalizada de rockões oitentistas de bandas como Def Leppard, um movimento muito bem feito e marcante dentro do universo de Death Water.

Todas as outras faixas do trampo carregam seus (enormes) méritos próprios, interligando-se e construindo um massivo libelo rock and roll que se desprende da necessidade de rotulações, amarras e definições, servindo apenas com um grande desatino musical, uma possibilidade de entregar-se de coração aberto à música pesada e divertir-se pra cacete com isso.

Todas certamente soariam muito bem ao vivo e serviriam de pano de fundo perfeito para uns “bate-cabeças” e umas quebradeiras. I Am the Sun proporciona isso: música vibrante muito bem feita para se divertir, beber umas (ou muitas!) e esquecer dos problemas do dia a dia. Só dar o play e curtir sem compromisso, a satisfação é garantida.

 

TrackList

1 – Dark Clouds
2 – I Saw The Reaper
3 – Woke Up In Space
4 – Grit
5 – Death Water
6 – The Burnout
7 – Hard To Believe
8 – Mare
9 – Wicked Thing
10 – We Know You Hate Us

 

Para ouvir mais:

Bandcamp