Resenha My Dying Bride – Meisterwerk III

SHARE
Crédito: Divulgação

Por: Edi Fortini

Vamos falar sobre um assunto demasiadamente polêmico: coletâneas. Dividindo opiniões, críticas e elogios, desde os que mal as conhecem até os fãs mais passionais, o público no geral certamente já passou os ouvidos por um título que reúne clássicos ou raridades das bandas mais variadas. De todos os estilos musicais, de todas as épocas e lugares.

Alguns ouvintes garantem que as preferem à audição de álbuns completos, principalmente quando se trata de bandas com extensa discografia. Tem quem goste de ouvir as músicas mais conhecidas enquanto fazem tarefas cotidianas. Também há os criadores de suas próprias compilações e que escolhem os momentos mais marcantes de sua paixão musical. Há os que consideram os “grandes sucessos”  o maior nível de caça-níquel que uma gravadora pode atingir.

Seja qual for sua concepção do tema, asseguro que vale a pena conhecer a coletânea Meisterwerk III, dos ingleses do My Dying Bride, lançada no final de outubro pela Peaceville no Reino Unido, mas ainda sem previsão de lançamento por aqui.

Capa do Álbum

Dispensando maiores apresentações, a novidade revisita os 25 anos de carreira de um dos grupos mais importantes do doom metal. A compilação física conta com três discos e um livro de 16 páginas que é um “item obrigatório” para os colecionadores de CDs.

Os 29 registros escolhidos para a ocasião totalizam três horas e 15 minutos de uma grande viagem, passando desde por sua primeira demo de 1990 com “Symphonaire Infernus et Spera Empyrium” até “I Almost Loved You”, do último trabalho de estúdio, Feel the Misery (2015). Até “Follower”, do quase esquecido 34.788%… Complete (1998) está contemplada, assim como “Seven Times She Wept” do maravilhoso Evinta (2011).

A maior parte das covers que o My Dying Bride já fez marcam presença: “Roads” (Portishead), “Scarborough Fair” (tradicional inglesa, conhecida por Simon & Garfunkel) e “Some Velvet Morning” (Nancy Sinatra).

As novidades ficam por conta de versões de “Grace Unhearing” e “Deeper Down” que ganharam uma roupagem especial, além das versões demo da já citada “Symphonaire…” e também de “Vast Choirs”.

Em resumo: não falta nada! Tanto para os recém-chegados ao mundo musical maldito dos ingleses, quanto aos fãs de longa data, Meisterwerk III é um trabalho completo e por carregar esse passeio aos 25 anos de uma trajetória vitoriosa, merece todo o nosso respeito.

 

Tracklist:

CD 1:

  1. Symphonaire Infernus et Spera Empyrium (Demo)
    2. The Crown of Sympathy
    3. The Grief of Age (Demo)
    4. A Kiss to Remember
    5. Grace Unhearing (Portishell Remix)
    6. For You
    7. Unreleased Bitterness
    8. Sear III
    9. Follower

CD 2:

  1. Sear Me MCMXCIII
    2. Vast Choirs (Demo)
    3. She Is the Dark
    4. Catching Feathers (Demo)
    5. Two Winters Only
    6. Your River
    7. Some Velvet Morning
    8. Roads
    9. My Hope, the Destroyer

CD 3:

  1. The Wreckage of my Flesh
    2. Feel the Misery
    3. Deeper Down (Uberdoom Edit)
    4. Kneel Till Doomday
    5. She Heard my Body Dying
    6. Bring my Victory
    7. To Remain Tombless
    8. Seven Times She Wept
    9. The Manuscript
    10. Scarborough Fair
    11. I Almost Loved You

Para saber mais:
Site
Facebook

Ouça: