Resenha Pantáculo Místico – Hermético

SHARE
Crédito: Divulgação

Por Rafael Sade

Após lançar a demo Magnitude Oculta (1999), ficar uma década em silêncio e voltar com o EP Velado por Entidades (2014), a Pantáculo Místico, veterana banda de Fortaleza, traz seu primeiro full-length: Hermético.

Os temas abordados nas canções discorrem sobre ocultismo, misticismo e força ritual. Dissertam sobre relações de autoconhecimento e elevação para algo que transpõe o material sem se prender ao tangível. Com letras em português, a absorção de cada verso se torna maior ao passar de todo o álbum.

Capa do Álbum Hermético

Formado pelos integrantes Lidio Barros (vocais), Cicero Rui (baixo e backing vocals), Edson Monteiro (guitarra), Leandro Rodrigues (guitarra), Tork Highill (teclado) e Moisés Sousa (bateria), o sexteto ainda conta com participação recorrente de um violino durante as músicas.

O que vemos aqui é uma obra fantástica, com sete faixas que prendem a audição do início ao fim. Destaque para a abertura “Onde os Extremos se Tocam”, primeira faixa liberada na grande rede, com introdução de piano e um potente coral em latim.

A banda sempre mesclou seu death/doom ao black metal, mas vemos aqui que uma desacelerada nas músicas, como nas clássicas “Viagem Astral” e “Magnitude Oculta”, que ficaram muito bonitas em sua versão final. A inédita “Vagando por Caminhos Desconhecidos” é uma das melhores deste disco, assim como “666 + 777 – A União do XIII”.

Com esse lançamento, o Pantáculo Místico se afirma como um dos principais nomes do estilo no país e referência no Nordeste brasileiro. Podemos afirmar que Hermético é um dos melhores álbuns de 2016.

TrackList:
01. Onde os Extremos se Tocam
02. Viagem Astral
03. Vagando por Caminhos Desconhecidos
04. 666+777 – União do XIII
05. Luz do Profundo Abismo
06. Velados por Entidades
07. Magnitude Oculta

Saiba mais:
Facebook
Ano: 2016
Selo: Odicelaf, MetalVox, Nuketemeron