Review: “Os Sons da Terra” dos cariocas Gods & Punks

SHARE

Por: Matheus Jacques

The Sounds of the Earth” é o EP de estreia do quinteto carioca Gods & Punks. Ponto. Dita essa frase, vale constar que  esse aglutinado de cinco faixas não parece meramente um debut. O trabalho realizado aqui, que conta com gravação feita no Estúdio Superfuzz e uma grande arte de capa de Cristiano Suárez, vai além.

A banda capitaneada por Alexandre Canhetti no vocal desenvolve uma sonoridade que consegue mesclar elementos diversificados, mas que já foram utilizados em larga escala por diversas bandas, sem que soe um mero pastiche, entretanto. Não existe aqui uma cópia, uma plastificação ou um simples trabalho preguiçoso de “ctrl-c / ctrl-v” em cima do trabalho de qualquer outra banda. A começar pelo próprio vocal de Alexandre, que destoa bastante da maioria de timbres e formas de cantar que acompanhamos hoje em dia, o que inclusive pode causar um certo estranhamento no início da audição, mas que ganha corpo e fácil assimilação sem muita demora. A roupagem levemente distorcida em algumas faixas é fantástica.

Fora a parte vocal, existe no trabalho uma excelência de riffs atrativos e inspirados se conectando e dando margem para muitas possibilidades na sonoridade, o que caminha lado a lado com uma cozinha eficiente e hábil, e o painel por vezes se contrasta com o vocal distorcido de Alexandre, o qual por vezes é jogado por cima/de encontro a riffs fluidos, solos e linhas mais densas de baixo criando um panorama muito interessante, como na faixa “The Tusk”.

“Black Apple”, terceira faixa do produto, é outro dos momentos mais interessantes e inspirados, com uma intro que carrega de forma latente uma aura mais arrastada, algo meio “sabbathico”, com ritmo mais cadenciado e riffs puxadões para baixo sendo seguidos por uma bateria muito bem cadenciada e groovy. No desenrolar, a parada descamba para um hard rock meio psicodélico com riffs muito bons e com momentos pontuais, bem no começo, em que o vocal de Alexandre sobressai e aparece solo, apenas acompanhado pelo baixo e por uma pegada quase estática de bateria dando suporte. E lá pelo último minuto ainda ganhamos um solinho bem bacana fechando bem a canção.

Outro dos destaques é a harmoniosa “Universe”, como se “Planet Caravan” do Black Sabbath encontrasse Led Zeppelin realizando uma pequena comunhão. Dose precisa de uma mistura entre boa melodia mais suave e hipnótica com momentos pontuais de peso.

As outras duas faixas, a abertura “Eye in the Sky” e o encerramento “Gravity”, têm seu valor também. A primeira é um hardão progressivo grooveado com toques sabbathicos e zeppelianos que também carrega uma certa inspiração metalizada, possuindo um pacote de bons riffs na bagagem. Já “Gravity” encerra muito bem o álbum, com alguns dos melhores momentos vocais e excelentes passagens da bateria.

“The Sounds of the Earth” entrega bem mais do que poderia se esperar de um simples EP, apresentando na verdade uma banda com um potencial enorme e atributos suficientes para criar algumas expectativas para o futuro. O primeiro passo foi dado, o primeiro movimento foi feito no tabuleiro, e agora é aguardar a sequência.

Ficha Técnica:
Local: Rio de Janeiro
Membros:
Alexandre Canhetti
Pedro Canhetti
Rafael Daltro
Danilo Oliveira
Arthur Rodrigues

Contatos:
Facebook
Bandcamp

the-sounds-of-the-earth-ep-capa